Resiliência: ressignificando o conceito

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

“Resiliente, você precisa ser mais resiliente!

Você precisa aprender a lidar com esses momentos. Resiliência!

Tem que superar esses tropeços. Errou? Bola pra frente”.

Muito tem se falado sobre essa tal resiliência e como, cada vez mais, todos precisam desenvolvê-la para lidar com o nosso dia a dia que pode ser muitas vezes caótico, mutável e cheio de erros e tropeços. 

Mas será que estamos entendendo esse tema em sua essência? Talvez não e contarei o porquê.

Como já devem saber, o Grupo Movile é um ecossistema que leva a sério as palavras agilidade, mudança e aprender com o erro. 

Estamos constantemente tentando fazer algo diferente, colocando a barra lá em cima e incentivando que todas as pessoas, independente de nível ou área, tomem riscos e aprendam diariamente com eles.

Há dois meses eu participei do módulo de resiliência do Leadershift, nosso programa para desenvolvimento de líderes, junto com pessoas de várias empresas do Grupo Movile e descobri que eu não tinha total consciência sobre como esse tema é amplo e, cada vez mais, essencial para que sejamos pessoas que evoluem e consigamos criar empresas que também evoluem.

Peguei minhas anotações do treinamento e gostaria de compartilhar alguns aprendizados com vocês:

 

  • Resiliência não é só levantar depois de um tombo ou erro

 

Até o momento, o tema tem se limitado em aguentar a pancada, suportar períodos  tensos e não cair. 

Mas resiliência vai muito além disso: passando por suportar, se recuperar e gerar alguma mudança a partir daquele aprendizado. É necessário andar e evoluir depois de superar determinado acontecimento!

Pensando em uma pessoa que tem papel de liderança, formal ou não, é necessário que exista uma cultura de antecipar necessidades e, ativamente, gerar transformações e mudanças no ambiente, nos projetos, na estratégia e até mesmo modelo de gestão.

 

  • É necessário aprender a cada momento

 

Mais do que suportar algo ou gerar alguma mudança, é importante que cada pessoa e/ou time consiga ativamente tirar aprendizados de cada situação.

Ter momentos para pensar o que aconteceu, qual a mudança necessária para evoluírem naquele tema/projeto e o que cada pessoa ou área envolvida pode tirar dali para ir para um próximo patamar.

Errar e aprender é positivo, mas é importante que sejam novos erros e não os mesmos sempre.

 

  • É necessário criar times resilientes

 

Não é saudável e nem eficiente ter pessoas, que isoladamente, conseguem lidar com mudanças e gerar transformações. 

É importante que times consigam agir assim em conjunto, compartilhar erros, gerar aprendizado coletivo e consequentemente fazer com que todas as pessoas evoluam. 

Mais do que isso, times resilientes conseguem gerar ativamente mudanças em um ambiente macro, antecipando necessidades e acelerando entregas.

Esse momento para falar sobre resiliência foi uma incrível expansão de consciência para mim, que há pouco tempo, entendia como uma característica simples e reativa.

Hoje entendo que ser resiliente e criar times que também sejam, está diretamente ligado a olhar para o futuro e conseguir, rapidamente, entender o que precisamos fazer para chegar onde queremos.

Existem algumas essência de liderança aqui no Grupo Movile, que são características que consideramos essenciais para cada líder, que são extremamente reforçadas no nosso dia a dia:

  • Admite erros, reflete sobre e toma atitudes de melhoria – estamos constantemente mudando, errando e aprendendo, como líderes precisamos guiar nossos times e a empresa para um cenário onde seja normal e todos entendam que isso faz parte do nosso processo de crescimento;
  • É capaz de engajar ativamente um time e guiá-lo em prol de mudanças necessárias na área e organização – mais do que ver a mudança acontecendo e aceitar, precisamos estar comprados com aquilo, entender como nos adaptar e trabalhar para que o melhor resultado seja gerado sempre

Estou na minha primeira experiência de liderança, o que por si só, já é extremamente desafiador. Além disso, estou  uma empresa que está em constante mudança, que trabalha em um ritmo ágil e que, com toda certeza, está lidando com temas muito a frente do que vemos no mercado. 

Compartilhar com outras pessoas do Grupo e aprender tanto sobre como ser e criar um time resiliente, possibilita que a experiência nesse cenário seja muito mais agregadora para mim e para pessoas do meu time.

Depois desse momento de troca com nosso ecossistema proporcionado pelo Leadershift, entendo que o termo resiliência é um iceberg e que meu papel, como líder, é ajudar outras empresas e até mesmo a Movile, para lidar e usar da melhor maneira possível essas transformações, sejam elas orgânicas ou ativamente geradas.

Apenas organizações e pessoas que mudam e aprendem todos os dias, ou seja, resilientes conseguirão aproveitar esse novo momento de mundo em plenitude.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: