A gestão de projeto ágil é um assunto novo e bastante em alta. Nos últimos anos, tem se optado por esse método para otimizar as demandas de gestão. Já a gestão tradicional possui uma aceitação mais consolidada, e ainda divide muito o espaço nas empresas com a primeira. Cada gestor tende a escolher o método que se encaixa melhor com os objetivos de cada empresa, mas uma dúvida fica no ar: qual o tipo de gestão é, de fato, mais eficiente?

Para responder essa pergunta, vamos entender como cada tipo de gestão funciona.

Como funciona a gestão de projetos  tradicional?

A gestão de projetos tradicional tem como característica seguir um padrão e uma estrutura bem definida. Os esforços estão concentrados nos processos, na mensuração do andamento do projeto e nas entregas.

Vamos imaginar que você queira lançar um aplicativo. Como se organizar para criar esse aplicativo através do método tradicional?

Captura de Tela 2018-02-27 às 17.51.31

Na gestão de projetos tradicional, você começa imaginando e desenhando cada detalhe do seu novo aplicativo. Depois da ideia pronta, chega a hora de planejar todas as atividades que devem ser realizadas, como design, programação e comunicação. Em seguida, começa a fase de execução de todas as tarefas. Depois começa a fase de testes para garantir a qualidade do aplicativo, e por fim, o lançamento. Ufa!

O processo é todo linear, planejamento, execução, teste e implementação. É preciso entregar no prazo, dentro do orçamento e com a qualidade esperada. Essa qualidade consiste em entregar um projeto sem erros, que funcione e se enquadre perfeitamente dentro do planejamento inicial.

Como dentro da gestão tradicional é esperado que você entregue exatamente o que foi planejado, já é possível imaginar que mudanças não são bem vistas pelos gerentes de projeto, certo?

Vamos resumir? Podemos dizer que é uma sistemática mais rígida, com pouca flexibilidade para mudanças, conferindo grande importância à figura do gerente de projetos.

Como funciona o método ágil?

Captura-de-Tela-2018-02-27-às-17.51.39.png

Uma das características das empresas de tecnologia é que elas estão sempre atentas às mudanças dos seus clientes. Então imagine que seu cliente pediu um aplicativo em janeiro, porém o seu lançamento só vai acontecer em agosto. É um intervalo de tempo bem grande, certo? Nesses meses é possível que ocorram muitas mudanças, por exemplo, no estilo da empresa, na necessidade dos usuários, nos planos do aplicativo, entre outras. Como você faria para planejar esse projeto? Nesse caso, o melhor método seria a Gestão de Projetos Ágil.

E como funciona?

O Ágil não vem de agilidade, mas sim de fragmentar todas as suas tarefas. Como assim? Enquanto no método tradicional você planejou e desenhou tudo nos mínimos detalhes, na metodologia ágil você vai desenhar tudo de uma maneira mais ampla.

Bem, vamos exemplificar para ficar mais fácil. O lançamento do seu aplicativo deve acontecer dentro de seis meses, correto? Então, o que você acha de lançar um modelo mais simples dentro de dois meses, depois uma versão melhorada em quatro meses, e por fim, lançar o aplicativo final no prazo de seis meses?

Captura de Tela 2018-02-27 às 17.51.52

Para isso, você terá uma primeira versão mais genérica do projeto. Cada nova versão, receberá modificações necessárias para alcançar a melhora total do aplicativo. Ou seja, você vai lidar com constantes mudanças ao longo do seu projeto.

Diferente do método tradicional, você vai se permitir mudar de ideia durante os seis meses do projeto para conseguir entregar-lo com a qualidade esperada. Nesse caso, é um aplicativo que se encaixa nas necessidades do seu cliente, mas não obrigatoriamente dentro do primeiro desenho feito.

E como funcionam os ciclos do projeto ágil?

Captura de Tela 2018-02-27 às 17.51.58.png

Cada etapa do seu projeto deve ser especificada e analisada, em seguida deve passar pela construção e por todos os testes necessários, e por fim, ser implementada. Para a entrega final, você terá submetido todas as fases do seu projeto a essas disciplinas.

E qual a vantagem?

Caso tenha erros no caminho, as correções poderão acontecer com antecedência. Pensa que sufoco seria descobrir que uma aba do seu aplicativo não funciona dois dias antes da entrega final do projeto! A gestão de projetos ágeis evita que isso aconteça.

Vamos resumir? Done is better than perfect. Dentro da gestão de projeto ágil mudanças são permitidas e necessárias. É preciso realizar todas as tarefas e adaptá-las a todas as situações. O perfeito não é entregar o projeto do jeito que você desenhou em primeiro momento, mas sim entregar o projeto.

Para fechar com chave de ouro o tema ágil, pode conferir outro post sobre 5 mitos e 1 verdade sobre Metodologias Ágeis, no blog Mulheres da Computação.

Entendi! Mas afinal, qual é o melhor método?

Agora você já sabe que uma das grandes diferenças entre as gestões de projetos é a flexibilidade para mudanças, e você também sabe que dentre as coisas que eles têm em comum está a preocupação com os prazos e orçamentos. Mas falta uma coisa: Qual é a melhor? Isso depende!

Infelizmente essa não é uma resposta que gostamos de ouvir, mas é a verdade. Já pensou usar metodologias ágeis para construir um prédio? De repente, você muda o desenho da planta e precisa começar a reconstruir tudo. Ia ser complicado, certo? Não existe um método melhor que o outro, mas sim situações que pedem soluções diferentes. Inclusive, nada te impede de usar os dois métodos juntos!

Se interessou pela gestão de projetos? Está pronto para entender qual é o melhor método para sua empresa? A Mastertech, escola de habilidades do século XXI que transforma pessoas através de cursos e Bootcamps imersivos está com as inscrições abertas para o curso Imersivo em Gestão de Projetos Ágeis.

Posted by:Larissa Chinaglia

Deixe seu comentário