UX design para marketplaces parece história de amor, você não acha? Afinal, ações inteligentes focadas na experiência do usuário representam a saída para praticamente qualquer problema de negócios no novo cenário econômico.

A verdade é que, com o amadurecimento dos ambientes virtuais, os consumidores estão atrás de interações que ultrapassem a simplicidade das plataformas de compra e venda. Empresas que desejam atingir o clímax do sucesso online, a exemplo das já clássicas Amazon, Airbnb e iFood, precisam mergulhar fundo em estratégias de relacionamento pautadas por habilidades técnicas e design de qualidade.

É por isso que o UX design na transformação digital tem criado raízes tão fortes. Em termos gerais, os profissionais da área têm duas tarefas a cumprir ao pensarem nos marketplaces:

  1. Fazer com que os objetivos dos usuários sejam atingidos;
  2. Fazer com que os usuário se apaixonem pela marca.

Em outras palavras, facilitar a vida dos consumidores que desejam comprar online. E isso só é possível quando as decisões são tomadas tendo essas pessoas no centro de todas as operações.

Vantagens do UX design para marketplaces

Basicamente, o papel do user experience design para marketplaces é agradar os diversos perfis de consumidores. Ou seja, deixar a jornada de compra simples, transparente e interessante. É satisfazer necessidades e superar expectativas de cada pessoa que acessa uma loja na internet.

Quando bem realizado, o trabalho dos UX designers favorece os marketplaces de diversas maneiras. Dentre as principais, melhoram performance, aumentam conversões, facilitam o processo de compra e, claro, estreitam os laços com o consumidor.

A Ruby Garage, por exemplo, revela como os times especializados ajudam a resolver algumas das principais dores desses ambientes de consumo:

01. Oferecem imagens e descrições claras

Uma vez que não têm o contato ao vivo com os produtos, clientes precisam do máximo de detalhes possíveis sobre o item que desejam comprar. E não estamos falando apenas de informações técnicas. Imagens de boa qualidade, assim como descrições bem escritas, desempenham papel crucial na decisão de compra.

Um UX designer poderoso também faz com que o usuário sinta-se confortável o suficiente para passar mais tempo na página do produto, com várias opções fotográficas, recursos de zoom, vídeos explicativos e detalhamento sobre tamanho, cor, material e demais especificações.

02. Criam ambientes confiáveis

A qualidade do serviço de atendimento, a facilidade nas formas de pagamento e a usabilidade intuitiva são questões determinantes para a reputação e credibilidade dos marketplaces. Segundo o artigo, tais páginas, quando bem pensadas, “podem garantir melhor experiência do usuário e maiores índices de conversão.”

Quanto menos barreiras o cliente precisar enfrentar, maiores as chances de deixá-lo satisfeito durante a jornada de consumo. Isso vale não apenas para os sites em si, mas também para toda a atuação da empresa em outros canais, como em redes sociais e e-mails.

03. Tornam a jornada satisfatória

A grande sacada do comércio online é convencer o usuário a permanecer mais tempo no site. É por isso que o serviço prestado por designers deve considerar as diversas formas de engajar o consumidor.

Ao entender as necessidades do público, o UX design para marketplaces obtém insights esclarecedores sobre o que é esperado em cada estágio da jornada de compra. O interessante é que este planejamento permite uma infinidade de testes de usabilidade com feedbacks praticamente instantâneos sobre a navegabilidade dos sites.

04. Estreitam o tipo de audiência

Estudos comportamentais e análise de dados são duas grandes vantagens do UX design para marketplaces. Através da criação de personas, por exemplo, é possível identificar necessidades específicas dos consumidores, destinando estratégias para nichos cada vez mais específicos e, consequentemente, personalizando o atendimento.

Quanto mais a equipe estiver ciente sobre os mindsets específicos do público, mais assertiva será a comunicação e mais valiosa será a experiência de compra.

É claro que, olhando assim, parece tudo muito fácil. É na prática que as coisas tendem a complicar.

Pensando nisso, reuni aqui algumas ideias que podem contribuir para que os marketplaces consigam, de fato, aproveitar estes e outros benefícios proporcionados pelos designers:

 

Boas práticas de UX Design para marketplaces

Se fosse fácil, todos fariam. No entanto, a realidade é um pouco diferente – embora nunca impossível!

Para garantir a apresentação de uma plataforma que pode se tornar o próximo case de sucesso no quesito ‘marketplaces de respeito’, fique de olho nas dicas da Helen Vdovychenko:

“Para garantir que seu consumidor obtenha informações valiosas e que atendam às respectivas necessidades, divida a jornada em quatro estágios importantes: conscientização, descoberta, compra e fidelização.

A ideia aqui é encontrar soluções para cada uma dessas etapas, considerando:

  • Quais são os objetivos do seu consumidor ;
  • O que ele faz para atingir estes objetivos;
  • O que você oferece para que ele atinja estes objetivos;
  • Quais são os seus objetivos [da marca, do marketplace];
  • O que pode ser feito para diminuir os ruídos nesta comunicação.

Você pode organizar um esquema mais ou menos assim:

A tabela organiza visualmente todas as questões abordadas acima. Este é um plano que certamente irá te ajudar a construir um planejamento de bases mais sólidas, considerando os quatro estágios propostos pela autora.

Por fim, lembre-se sempre que um trabalho com foco no usuário é sinônimo de um processo interativo. O principal sinal de que há algo de errado com o desenvolvimento de uma plataforma marketplace é a falta de engajamento do cliente.

Portanto, quando uma ação não entrega os resultados esperados, é preciso voltar à estaca zero e recomeçar. Seu público é o grande responsável pelas suas tomadas de decisão, ele mostrará onde existe um problema e os UX designers agirão de acordo.

Para continuar aprendendo sobre boas práticas de UX, confira este artigo completo sobre a importância do UX Research!

 

Tiago Magnus atuou nos últimos 10 anos em projetos digitais, trabalhando com marcas como Lenovo, Carmen Steffens, Mormaii, VTEX, Carrefour, Centauro, entre outras, e como sócio de uma das principais agências digitais do Brasil. Hoje, é Diretor de Transformação Digital na ADVB e Fundador do TransformacaoDigital.com

Posted by:Tiago Magnus

<i>Tiago Magnus atuou nos últimos 10 anos em projetos digitais, trabalhando com marcas como Lenovo, Carmen Steffens, Mormaii, VTEX, Carrefour, Centauro, entre outras, e como sócio de uma das principais agências digitais do Brasil. Hoje, é Diretor de Transformação Digital na ADVB e Fundador do TransformacaoDigital.com</i>

Deixe seu comentário